Home > Blog da Caipirinha > Pitu apresenta sua nova cachša nobre, a Vitoriosa

Pitu apresenta sua nova cachša nobre, a Vitoriosa



 

 

Para fechar as comemorações dos seus 75 anos de vivências, emoções e muita história, a Pitú encerra o ano de 2013 com o que há de melhor em seus barris, a Vitoriosa. O lançamento da cachaça extra premium é um presente da marca pernambucana a seus fieis bebedores e uma celebração ao seu momento mais nobre, o agora.
Elegante, sofisticada e eclética, a Vitoriosa é resultado de uma tradição que já está na quarta geração. De forma refinada, ela surge em edição limitada para dar aos consumidores o gostinho da reserva especial que as famílias Ferrer e Cândido Carneiro ofereciam a amigos ilustres e convidados que visitavam a Pitú. Ideal para ser consumida em grandes comemorações, reuniões com melhores amigos ou momentos solitários de reflexão sobre a vida, a bebida que era guardada em segredo passou a ser bastante apreciada por um grupo seleto, o que levou então a Pitú a cogitar a possibilidade de oferecê-la ao mercado. 
Com esse plano em mente, a produção da Vitoriosa teve início há mais de cinco anos para chegar aos consumidores no momento perfeito. 

Processo de produção e comercialização

A produção e o envelhecimento da Vitoriosa segue um processo longo e detalhado. Para chegar ao nível de qualidade da bebida, tudo se inicia com a rigorosa escolha das cachaças que vão compor o blend. Esse trabalho aguçado de mistura de cachaças é fundamental para que as reações químicas de oxigenação entre os componentes da madeira e da cachaça ocorram em condições ideais.
Em quantidade limitada, o primeiro lote de 9 mil garrafas francesas com tampas de cortiça portuguesa, chegam inicialmente aos estados do Nordeste. Com uma sofisticação que a Pitú ainda não havia oferecido ao mercado, a Vitoriosa está sendo considerada o produto conceito da marca pernambucana. “Em termos de cachaça, ela é totalmente diferenciada e vem para mostrar as várias maneiras de se produzir e consumir esse tipo de bebida”, comenta Alexandre Férrer, diretor Comercial e de Marketing. 
Armazenadas em barris de carvalho francês, de 180 a 200 litros, o envelhecimento da cachaça ocorre por no mínimo cinco anos para que haja finalização das reações. Após esse período, a bebida é transferida para barris de carvalho americano, onde ocorre o aprimoramento da qualidade sensorial do produto através do refinamento e da harmonização de aromas e cor.
Resultado do que a Pitú tem a oferecer de melhor ao mercado, a Vitoriosa será comercializada também em uma embalagem especial para colecionadores. Em tiragem de duas mil unidades, esse produto exclusivo estará disponível para venda nos melhores bares e restaurantes do Nordeste. A partir de 2014, a Vitoriosa segue gradativamente para ser comercializada em todo o Brasil e, inclusive, no exterior. Pedidos para os Estados Unidos já estão garantidos.
    
Características sensoriais e harmonização

    Como tempo e qualidade são a essência da Vitoriosa, o envelhecimento em barris de carvalho francês não é um mero detalhe. Por possuir excelente complexidade sensorial, esses barris transferem à bebida um sabor aveludado e aroma marcante, com notas de especiarias como coco queimado e baunilha. Ao ser transferida para descansar em barris de carvalho americano, o sabor fica ainda mais refinado e seu aroma final adquire toques de canela e ameixa, exalado junto ao perfume da madeira.
    Com 39% de vol., a Vitoriosa é uma delícia aos paladares mais exigentes que apreciam uma bebida de alta qualidade.  Por ser eclética, além de poder ser consumida pura, em temperatura ambiente ou on the rock, pode ser harmonizada com diferentes comidas. De forma suave e agradável, funciona bem como aperitivo, acompanhamento de prato principal ou sobremesa, como digestivo, e para uma deliciosa caipirinha. 

 

Fonte: Portal Neuronio, adaptada